Notícias

11.05.2020

Quando uma gestação é de alto risco?

Pode parecer assustador, mas toda gravidez tem risco. Carregar uma vida requer cuidados. Ainda que tanto a mãe quanto o bebê estejam bem, os médicos classificam como casos de risco habitual. Quando uma gravidez sai do seu curso típico, por menor que seja a complicação, os médicos tratam como alto risco, sendo essa uma forma de prevenção, devido aos cuidados extras.

Em alguns casos é preciso que a atenção seja redobrada desde início. Isso porque o histórico e a saúde da mulher são levados em consideração. Por exemplo, o fator básico é a idade, uma vez que gestações antes dos 18 anos ou depois dos 35 são mais delicadas. Antes de atingir a maioridade, o corpo feminino não está propriamente desenvolvido. Já no segundo caso, doenças crônicas, como a diabetes e a hipertensão, são mais incidentes nesta faixa etária.

Outras condições de saúde elevam o risco, bem como o estilo de vida. É importante a prática de exercícios físicos e uma alimentação balanceada para que o corpo esteja saudável e assim apto a gerar um bebê. A genética também pode ser um influenciador na classificação do risco de uma gravidez, uma vez que se a mãe apresentou problemas, como a diabetes gestacional, o filho provavelmente também apresentará.

Apesar de todos esses fatores, há sim como minimizar os riscos. A primeira coisa a ser feita é iniciar o pré-natal, comparecendo às consultas marcadas e realizando os exames. É fundamental que esse acompanhamento seja seguido à risca na primeira metade da gestação, para que a situação seja analisada como um todo e sejam tomadas as melhores decisões.

Caso uma gravidez seja considerada de alto risco, entre os cuidados estão: exames realizados com maior frequência, repouso e uma alimentação equilibrada. Só é necessário o afastamento da mulher de suas atividades caso haja recomendação médica e é importante que elas sejam cumpridas.

Mas atenção: uma gestação nem sempre é classificada como alto risco desde o começo e alguns sintomas podem indicar essas complicações. São eles:

  • Sangramento;
  • Contrações uterinas antes do tempo;
  • Tonturas e desmaios frequentes;
  • Dores ao urinar;
  • Aceleração repentina dos batimentos cardíacos.

 

Se algo da lista acima acontecer, é imprescindível que um médico seja consultado.

AGENDAR EXAME AGORA