Notícias

12.02.2020

Bolsa de água: Quente ou fria?

Quem nunca sofreu com alguma lesão ou dores intensas e correu pegar a bolsa térmica para aliviar o desconforto? Essa prática comum já ajudou muitas pessoas, mas antes de colocar a bolsa no local afetado, é necessário saber se o caso pede alta ou baixa temperatura.  

A diferença é simples, porém, se não souber utilizar o machucado pode piorar. Então, esteja atento e se precisar não hesite em buscar auxílio profissional. Quando houver inflamação, inchaços, hematomas causadas por quedas ou pancadas e depois o exercício, opte pela bolsa de gelo. 

Para ter uma boa recuperação, aplique o instrumento dentro de 48 horas, assim a ação vai ser mais rápida. Não se esqueça de usar um pano ou plástico entre o gelo e a pele, para que não haja queimadura. Aplique de duas em duas horas caso tenha indicação médica, senão apenas duas vezes ao dia por no máximo 20 minutos. 

Já a bolsa de água quente deve ser utilizada quando as tensões são musculares e também mais prolongada, pois o recurso vai trazer alívio imediato pelo fato do calor estimular a circulação sanguínea. Fique de olho em quão quente está para não queimar a superfície da pele. Alguns casos são cólicas abdominais, dores nas costas, torcicolo e pré-treino. 

Mas, se você tem tensão muscular crônica, procure um médico especializado, uma vez que o recurso térmico vai ajudar apenas temporariamente, o certo a se fazer é tratar para que o incômodo não apareça com frequência. 

E não se engane por pensar que as duas bolsas térmicas não combinam! A chamada terapia mista ou de contraste mostra que usar gelo e água quente é eficiente em situações de dores de cabeça, por exemplo, visto que há contração e dilatação dos vasos sanguíneos. 

Saiba quando e como recorrer às bolsas térmicas e alivie as dores de forma correta. 

AGENDAR EXAME AGORA